Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > NOTÍCIAS > Biodiesel contribui para corte de emissões
Início do conteúdo da página

Biodiesel contribui para corte de emissões

Publicado: Terça, 14 de Novembro de 2017, 18h02 | Última atualização em Terça, 14 de Novembro de 2017, 18h02 | Acessos: 51

Biodiesel contribui para corte de emissões

Ministro avalia que o aumento do biocombustível na matriz brasileira auxiliará o país no cumprimento de suas metas dentro do Acordo de Paris.

LUCAS TOLENTINO
Enviado especial a Bonn

 

O ministro do Meio Ambiente, Sarney Filho, destacou nesta terça-feira (14/11) a matriz energética renovável do país durante a Conferência do Clima, a COP 23, que ocorre até o fim da semana em Bonn, na Alemanha. No Espaço Brasil na COP 23, Sarney Filho declarou que a antecipação do aumento para 10% da mistura de biodiesel ao diesel usado no mercado interno contribuirá para alcance das metas brasileiras para conter o aquecimento global.

Pela legislação, a data limite para aumento dos atuais 8% para 10% de biodiesel no diesel seria março de 2019. O Conselho Nacional de Política Energética (CNPE), no entanto, aprovou na semana passada a antecipação em um ano desse prazo. "Esse é um grande avanço e, sem dúvida, uma aspiração que vai certamente ajudar o Brasil a cumprir suas metas absolutas de redução de gases de efeito estufa", comemorou Sarney Filho.

A contribuição do Brasil ao Acordo de Paris propõe, entre outras coisas, o aumento da participação de bioenergia sustentável na matriz energética para aproximadamente 18% até 2030. Para isso, o país lista ações como o aumento da parcela de biodiesel na mistura do diesel e a expansão do consumo dos biocombustíveis. Essas medidas deverão se somar a ações em setores como o florestal e o agrícola para que o país cumpra sua meta internacional de corte de emissões.

RECICLAGEM

O impacto da reciclagem do lixo urbano nas emissões brasileiras de carbono também foi discutido no Espaço Brasil na COP 23, área montada pelo governo brasileiro dentro da Conferência para envolver a sociedade na agenda ambiental. Sarney Filho declarou que priorizará os catadores de materiais recicláveis em todas as ações de gestão de resíduos sólidos, além de reforçar as cadeias de logística reversa. "Vamos manter o espaço dos catadores e tornar os negócios mais atrativos para a iniciativa privada", explicou.

O representante do Movimento Nacional dos Catadores de Materiais Recicláveis, Severino Francisco de Lima Júnior, avaliou como positivas as ações voltadas para a categoria que representa. "A legislação brasileira e participação dos catadores são referência e essa experiência precisa ser transmitida para os outros países", explicou Severino. "É fundamental um modelo que promova a inclusão social", acrescentou o presidente do Compromisso Empresarial para Reciclagem (Cempre), Victor Bicca.

A COP 23

Mais de 190 países estão representados, em Bonn, na 23ª Conferência das Partes (COP 23) da Convenção-Quadro das Nações Unidas sobre Mudança do Clima (UNFCCC, na sigla em inglês). O objetivo é avançar na construção das regras para implementação do Acordo de Paris, concluído em 2015 com o objetivo de manter o aumento da temperatura média do planeta bem abaixo de 2ºC. Para isso, cada país apresentou sua própria meta de redução de emissões. A do Brasil é considerada uma das mais ambiciosas e propõe a redução de 37% até 2025, com indicativo de chegar a 43% até 2030.

Espaço Brasil - Programação

Espaço Brasil - Apresentações 14/11/17

Notícias - MMA na COP 23

 

registrado em:
Fim do conteúdo da página